sexta-feira, 4 de junho de 2010

IRMÃ DO CACIQUE BABAU DETIDA PELA POLÍCIA FEDERAL


Presa Dia 03/06/2010, no aeroporto de Ilhéus, irmã do cacique Babau

Amanayara Tupinambá, mulher, mãe e militante indígena,
Amanayara Tupinambá, mulher, mãe e militante indígena, "porquê" quemvai na frente de sonhos comuns dos excluídos no Brasil sempre sofre com as injustiças? E agora, de forma violenta e escancarada?... Brasil mostra a tua cara... desigual, autoritário e antidemocrático.
Jandair – Tuxá.
jandairribeiro@hotmail.com.
(75)8807-6332

Gliceria Jesus da Silva (Célia Tupinambá), importante liderança do povo tupinambá e irmã de Rosivaldo Ferreira da Silva, Cacique Babau, foi presa, Dia 03/06, pela polícia federal, ao desembarcar no aeroporto de Ilhéus/BA. De acordo com informações extra-oficiais, Célia será transferida, amanhã, para a carceragem da polícia federal em Jequié. Membro da CNPI, ela viajou para Brasília no último sábado, 29/05, para participar de reunião e tentar entregar documento ao presidente Lula, relatando e pedindo providências para os Tupinambá da Serra do Padeiro, cujo cacique está preso, há mais de dois meses, e lideranças são constantemente ameaçadas por pistoleiros, na região de Buerarema/BA, Dia 02/06, Célia assistiu ao julgamento do habeas corpus, impetrado pelo Ministério Público Federal em favor do cacique Babau, pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que o julgou improcedente. Hoje, ao retornar e ser detida pela PF, Célia estava com seu filho, Erutawã, de dois meses de idade.
Salvador, 03/06/2010
Informação  : Patrícia Navarro de Almeida Couto/ Antropóloga/Membro do Conselho Diretor da ANAÍ.
———————————————————————————————————————————
Amanayara Tupinambá, mulher, mãe e militante indígena,
Presidente Lula e a Guerreira Tubinambá, presa em Ilhéus, depois de relatar a situação do seu povo em reunião da CNPI com o presidente em Brasília.
Uma carta contendo a pauta do Movimento Indígena Brasileiro, foi entregue dia 03/06  ao Presidente Lula, através da APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil). O bom de tudo isso é que na pauta de número 6, a situação do cacique Babau é lembrada leia:
6. Fim da criminalização e prisão arbitrária de lideranças indígenas que lutam especialmente pelos direitos territoriais de seus povos e comunidades, influenciando a soltura de índios detidos de forma injusta e arbitrária como o caso do cacique Babau do povo Tupinambá da Serra do Padeiro, dentre outros tantos.
Agora é esperar que o nosso Presidente, não deixe seu posto sem resolver a situação de Babau, que se encontra  preso, por acreditar em uma sociedade melhor, por  dedicar sua vida ao seu povo, por compartilhar sonhos e desejos de um grupo que tem como mérito sua cultura, seu amor, e respeito a Mãe Terra.
———————————————————————————————————————————


"Impunidade" Onde está a APIB, o CNPI, a APOIMNE, a ANAÍ...? até quando ?


Nenhum comentário: